19 de set de 2011

Eu desmoronei ...

     "Porque fostes embora com o meu amor?"  Ele perguntou calmo e apreensivo. Mas como responderei se ainda estou aqui? Pensei em dizer que não sei o que é o amor, e não estaria mentindo, porque de fato, não sei. Mas calei-me em um silêncio ensurdecedor.
  Ele me olhou, fechou os punhos e fingiu sorrir, baboseou algumas palavras nostálgicas, e por fim, começou a andar com um olhar distante. Não entendi o que estava acontecendo. Eu errei? Mas como se ele nunca esteve aqui? Se eu nunca fui sua?
 ... Eu caí em prantos, não pela dor, mas sim pelo turbilhão de dúvidas que me consumia. Eu o vi partir, a imagem de suas costas molhada pela chuva não saia dos meus pensamentos, nunca vou esquecer da frase que estava estampada em sua camisa, "Sou livre para voar, quer vir comigo?" A frase ecoou na minha mente por alguns segundos, irônico, eu tinha acabado de dizer um não, e como eu voaria se minhas asas foram arrancadas no dia em que o encontrei? Que estúpido, pensei, mas era apenas uma tentativa de esquecer o que realmente tinha acontecido." -Abý

Nenhum comentário:

Postar um comentário